sexta-feira, janeiro 30, 2009

Não gosto do big brother


Eu particularmente não gosto do programa Big Brother, cada pessoa tem seu gosto, mas não consigo aceitar uma boa parte do país parar para assistir pessoas que ficam confinadas em uma casa, sem precisar trabalhar, vivendo uma boa vida, só de festas e curtição, e ainda recebem dinheiro para isso (vencendo o programa ou por virarem celebridades depois que saem da casa). Ainda tem o fato de estarem gerando mais receitas para os patrocinadores e principalmente para a grande Rede Globo.

Enquanto isso, o país, o mundo segue sua vida cotidiana, cada um na sua luta diária, alguns mais tranqüilos, outros com grandes dificuldades, estando num "paredão" diário, não sabendo se vai permanecer "no jogo" da vida por mais uma semana.

Em um blog que acompanho, o autor publicou um texto falando a respeito do programa Big Brother, achei tão interessante a sua "visão" que recomendo a sua leitura.

Alguns trechos que chamaram a atenção:
"Enquanto os participantes desse jogo fofocam, mentem e fumam para posteriormente milhões de brasileiros pararem tudo e acompanhar o que ocorreu na casa mais vigiada do país, nas casas não vigiadas eu me deparo com pessoas pensando em tirar a própria vida; outras em seus últimos momentos de existência; e a todas elas tenho que levar uma palavra de conforto, mostrar qual o real sentido da vida."

"Perguntar o que realmente é o show da vida real seria redundância? Peço a você que reflita bem antes de ligar a televisão e aplaudir essas discordâncias gritantes que estão longe de ser o que precisamos para nutrir nosso caráter."Faça a leitura completa do post acessando:

http://criacionista.blogspot.com/2009/01/show-da-vida-real.html

E você o que acha do Big Brother? Compartilhe sua opinião!

4 comentários:

Carlos H. disse...

Já assisti o bigbrother eu sua primeira temporada, por pura curiosidade. Não me animei a ver até o fim (até lembro de perguntar a uns amigos quem tinha ganho, cerca de 30 dias depois do término... não eu não vejo muita TV).

O sucesso de programas desse tipo é explicado pela mesma postura que elege o Clodovil para deputado: A ignorância egoísta e generalizada que não questiona e não se envolve com sua própria realidade.

No ápice do auto-engano, quaisquer problemas pessoais (chego atrasado todo dia), se tornam problemas sociais, ou seja, dos outros (eles que não toleram meu atraso). E por que perder tempo com programas dos outros?

Assim quando você lança uma questão pessoal de reflexão ("será que essa imagem pregada pelo BBB é saudável"), ouve uma resposta do tipo não-é-problema-meu ("essa é sua opinião, temos que respeitar quem gosta") como se isso encerrasse a questão e livre-pensamento significasse "livre-pensamento-ausente-de-críticas".

Mas tais programas tem uma utilidade pública sim: Sua audiência é termômetro da própria ignorância generalizada. Não adianta bater de frente com pessoas com centenas de anos de experiência em justificar sua própria ignorância. Se quer fazer algo de útil, lute para que as próximas gerações sejam mais críticas quanto ao que lhes entra na cabeça.

Anônimo disse...

Não gosto, inclusive faço questão de mudar de canal.

Samuel disse...

Bom dia amigo......sábias palavras, vamos fazer a diferença, não assistindo e alertando nossos queridos....

Samuel disse...

Bom dia amigo......sábias palavras, vamos fazer a diferença, não assistindo e alertando nossos queridos....